História da Ordem dos Templários

 

     

   

     A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, ou apenas Templários, foi a maior Ordem Militar e Religiosa da Idade Média. Tinham por princípio básico a pobreza e a penitência, e sua atribuição estava em proteger os peregrinos cristãos a caminho da Terra Santa e defender os domínios da cristandade em territórios infiéis.

     Criada pelo francês Hugo de Payens, que foi também seu primeiro Grão-Mestre, a Ordem teve seus estatutos escritos por São Bernardo de Clairvaux e respondia única e exclusivamente a Roma, e a nenhum outro soberano da Europa, se não ao que sentasse no trono de São Pedro.

A ideia de Hugo de Payens de que a Ordem fosse pobre e ajudasse os necessitados não foi, em momento nenhum desvirtuado. É importante deixar claro que a Ordem era rica, mas seus membros possuíam apenas o suficiente para viver, e sem nenhum luxo que gozaria um senhor medieval.

 

Segundo Burman (1994,p. 54), nos rituais de iniciação templária é deixado claro ao candidato as incumbências de um Templário e a sua renúncia para viver como um monge:

 

Mas não sabes os severos mandamentos que prevalecem aqui dento (Ordem dos Templários): Por que é difícil tu, que és senhor de ti mesmo, tornares-te servo de outro[...]; se quiseres ficar na terra deste lado do mar, serás mandado para outro lado; se quiseres ficar em Acra, serás mandado para Trípoli.

 

Como toda Ordem Militar, seus membros eram treinados à batalha, mas no caso específico das Ordens Militares e Religiosas, sua formação era bastante espiritual. O voto de pobreza fazia com que abdicassem de posses e vivessem apenas com o suficiente para sobreviver, sendo o furto ou a apropriação desautorizada de bens, passível de expulsão. O voto de pobreza era de tal importância que desde seu início via-se como seu emblema uma medalha contendo dois cavaleiros dividindo a montaria. A rigidez e a disciplina do Templo lhes rendeu uma reputação de honestidade, fazendo que soberanos e senhores confiassem à eles a posse de seus bens, que os Templários faziam render com habilidosa maestria.

 

Atualmente, a Ordem do Templo e muitas instituições neotemplárias buscam o aprimoramento e a evolução espiritual de seus membros. Para se tornar um templário nos dias de hoje, deve-se ter a consciência que essa instituição espiritual não é um "simples clube de amigos". Ingressar em uma Instituição Templária é, sobretudo, submeter-se ao aprimoramento e evolução espiritual. É trabalhar cotidianamente para se diferenciar do mundo profano, se destacando pelo caráter e pela honestidade. Através de estudos, meditação, e orientações, o aspirante percorrerá o caminho indicado por Jesus Cristo.  

 

Ordem do Templo - Gran Priorato Templário do Brasil

 

 

Fonte: SOARES, Gilberto. O fim da ordem dos templários: Conflitos de poder e interesses por trás da destruição da maior ordem militar e religiosa da idade média. 2014. 17 p. Trabalho de conclusão de curso. UEMG. Carangola.

 

 

 

© 2020 by Ordem do Templo. 

Siga nossa Fanpage no Facebook

  • Facebook B&W